MEC anula mudança em edital que permitia propaganda em livros


São cerca de 150 milhões de obras por ano, com custo de R$ 1 bilhão
Estadão Conteúdo
O governo de Jair Bolsonaro informou que vai anular as mudanças nos critérios de avaliação dos livros didáticos, como o fim da exigência de referências bibliográficas e o veto à publicidade nas obras, nesta quarta-feira (9). 
O aviso publicado no Diário Oficial da União em 2 de janeiro sobre o edital, que regula a compra dos livros, também havia tornado menos rígido o controle de erros de revisão e impressão nos materiais. Segundo especialistas, as alterações poderiam permitir a aprovação de obras de baixa qualidade.
Veja também: Em comunicado a diplomatas, governo Bolsonaro confirma saída de pacto de migração da ONU
O MEC (Ministério da Educação) compra livros didáticos para todas as escolas públicas do País. São cerca de 150 milhões de obras por ano, com custo de R$ 1 bilhão. As mudanças tinham sido feitas no programa cujos livro...


>>> Veja o artigo completo (Fonte)