Mantida prisão preventiva de acusado de armazenar pornografia infantojuvenil


Os membros da Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba, acatando parecer do Ministério Público, negaram habeas corpus na tarde desta quinta-feira (25) e mantiveram a prisão preventiva decretada contra homem acusado de armazenar, adquirir e distribuir vasto material de conteúdo pornográfico infantojuvenil, conforme perícia feita nos dispositivos digitais e no computador do próprio réu.
De acordo com o voto proferido pelo relator, desembargador Arnóbio Alves Teodósio, a prisão em flagrante foi convertida em preventiva pelo Juízo da Infância e Juventude da Comarca de Campina Grande, que afirmou, na decisão: “A aplicação de outras medidas cautelares alternativas à prisão seria insuficiente e inadequada neste momento, em virtude de repercussão social e da necessidade de inibir condutas dessa natureza com escopo de proteger a infância natural”.
Conforme os autos, o réu foi preso no dia 20 de outubro de 2017, por ocasião de cumprime...


>>> Veja o artigo completo (Fonte)