Saiba o que fazer em caso de infarto até o socorro médico chegar

*Do R7 As doenças cardiovasculares são a maior causa de morte em países ricos e emergentes. Em todo o mundo, 17 milhões de pessoas sofrem de problemas no coração. No Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde, 300 mil pessoas morrem por causa de problemas cardíacos todos os anos - isso representa uma morte a cada dois minutos. As mulheres são as principais vítimas de infarto no país e somam 60% dos óbitos. A parada cardiorrespiratória é o momento em que o coração deixa de funcionar e a pessoa para de respirar, sendo necessário fazer uma massagem cardíaca para que o coração volte a bater. Sem os primeiros socorros, em cerca de três minutos sem oxigênio o corpo começa a sofrer uma lesão cerebral e, após cerca de dez minutos, as chances de sair ileso são praticamente nulas. (Foto:R7/Thinkstock) Um infarto pode ocorrer por diversos motivos. Os mais comuns são hemorragias, infecções respiratórias, uso de drogas, choques elétricos, asfixia, afogamento, intoxicação por medicamentos e sufocamento. Mas, na maioria das vezes, acontece devido a problemas cardíacos não tratados. Veja a seguir quais são os cuidados essenciais para manter a vítima consciente enquanto a ajuda médica não chega. De acordo com o cirurgião cardíaco e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular, Elcio Pires Júnior, você pode perceber que uma pessoa está infartando quando ela não apresenta pulsação ou movimentos respiratórios e as pupilas estão dilatadas. Outros sintomas são dores no peito, falta de ar, palpitação, suor frio e visão turva. “Ao presenciar essa situação, é preciso chamar imediatamente uma ambulância e iniciar a massagem cardíaca, para que a vítima tenha mais chances de sobreviver, pois a cada minuto sem socorro o risco de morte aumenta em 10%”, alerta o especialista. Para saber como está a pulsação da pessoa, é preciso colocar o indicador e o dedo médio em cima de um artéria - pode ser na região do punho ou na região do pescoço. Mas é preciso tomar cuidado para não se confundir. O cardiologista explica que durante o infarto, às vezes, o pulso não está tão alterado devido à dor no peito. A dor pode fazer com que a pulsação aumente. A pulsação considerada normal tem que estar acima de 50 e abaixo de 100. Uma média é de 60 e 70 batimentos por minuto. (Foto: R7/Getty Images) Qualquer pessoa pode fazer a massagem cardíaca em alguém que esteja sofrendo um infarto. Basta deitar a vítima no chão, com a barriga para cima, levantar ligeiramente o queixo e inclinar um pouco a cabeça da vítima para trás para que o ar passe pela garganta mais facilmente e pressionar o peito da vítima, perto do coração. Para fazer a pressão correta sobre o coração, deve se manter os braços esticados e usar o peso do corpo enquanto faz o movimento, que deve ser repetido a cada dois segundos. A massagem cardíaca não deve ser interrompida até o reinicio da respiração e a volta dos batimentos. (Foto: R7/Getty Images) Se você estiver sozinho e começar a sentir uma dor muito forte no peito, que se irradia para o ombro esquerdo até a mandíbula, pode ser um início de infarto. Manter a calma, chamar uma ambulância e mastigar uma aspirina podem ajudar a manter os sentidos até o socorro chegar. Leia também: Ministério da Saúde confirma 723 casos e 237 mortes por febre amarela Ameba que 'come cérebro' pode ser encontrada no Brasil Doação de órgãos cresce e bate novos recordes no Paraná