Polícia indicia dois por agressão em frente ao Instituto Lula

Homem foi hospitalizado após confusão no Instituto Lula; quadro é estável

Homem foi hospitalizado após confusão no Instituto Lula; quadro é estável

Rogério Gomes/Brazil Photo Press - 05.04.2018

A Polícia Civil de São Paulo indiciou duas pessoas, por lesão corporal dolosa, por agressão ao administrador Carlos Alberto Bettoni, 56 anos.

O caso ocorreu na última quinta-feira (5) em frente à sede do Instituto Lula, no bairro Ipiranga, quando Bettoni gritou ofensas ao PT durante entrevista do senador Lindbergh Farias (RJ) à imprensa.

'Maninho' é ex-vereador de Diadema

'Maninho' é ex-vereador de Diadema

Marcelo Chello/CJPress/Folhapress - 09.04.2018

Um dos indiciados empurrou a vítima, que bateu a cabeça em um caminhão que passava no local. Na ocasião, manifestantes estavam reunidos em frente ao instituto por causa da notícia de que o juiz Sérgio Moro tinha expedido ordem de prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública não divulgou os nomes e disse que os investigados prestaram depoimento e foram liberados. De acordo com o 17º Distrito Policial do Ipiranga, que investiga o caso, os indiciados são Manoel Eduardo Marinho, ex-vereador de Diadema (PT), e o filho dele.

Maninho e o filho falaram por três horas com o delegaodo do caso. Na saída, ele disse à RecordTV que se tratou de um "desentendimento natural".

"A justiça vai averiguar e tomar as providências", disse. As investigações do caso prosseguirão.

Bettoni está estável e permanece em observação na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital São Camilo, no Ipiranga. O paciente está com “monitorização neurológica intensiva”, informou boletim médico. Não há previsão de alta.