Ao perder o foro, Temer responderá a 4 processos na primeira instância


O presidente Temer e Cármen Lúcia na abertura do ano Judiciário
WALTERSON ROSA/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO- 01/02/2018
Caso não seja reeleito este ano, Temer deve perder o foro privilegiado em janeiro de 2019. Para manter a prerrogativa, não tendo sido eleito, o presidente teria que ser nomeado ministro de um aliado, por exemplo, ou ser nomeado chefe de uma missão diplomática. Caso isso não ocorra, ele deve enfrentar, a partir de janeiro, ao menos quatro processos na primeira instância.
Atualmente, Temer é alvo de quatro inquéritos na Suprema Corte, justamente por ser presidente da República. Dois deles estão paralisados por terem sido barrados pela Câmara dos Deputados (primeira e segunda denúncias). Os inquéritos podem ser divididos em dois tipos: por crimes cometidos antes do mandato, que não podem tramitar, por estar expresso na Constituição, e por crimes cometidos durante o mandato.
Para estes, o STF só pode seguir com a análise...


>>> Veja o artigo completo (Fonte)