Operação autua revendedora de Porto Alegre que cobrava 33% a mais no valor do botijão de gás

Polícia Civil e Procon fiscalizam revendedora de botijão de gás Crédito: Polícia Civil / Divulgação / CP

Correio do Povo - Cidades

Uma revendedora de gás de cozinha foi autuada por cobrar 33% a mais dos clientes no valor do botijão de gás. O estabelecimento, na avenida Osvaldo Aranha, no bairro Bom Fim, em Porto Alegre, estava vendendo o botijão de 13 quilos a R$ 100, sendo que - antes da paralisação dos caminhoneiros - o produto custava R$ 75. O dono do estabelecimento havia colocado uma tarja em cima do antigo valor do botijão, para poder cobrar a mais dos clientes. A ação da Polícia Civil, por intermédio da Delegacia Especializada na Defesa do Consumidor, em conjunto com a Agência Nacional de Petróleo e o Procon Municipal, busca coibir aumentos injustificados e exorbitantes nos preços dessas mercadorias. O estabelecimento comercial foi autuado e terá que corrigir a fraude, sob pena de aplicação de multa e, inclusive, interdição do local. Segundo o delegado Rafael Liedtke, a Polícia Civil instaurou Inquérito Policial contra o proprietário do estabelecimento, que poderá ser indiciado, em tese, por delito contra a ordem econômica e contra as relações de consumo, prescrito na Lei n° 8.137/1990, cuja pena máxima pode chegar a até 5 anos de detenção.