SP: chegada de caminhão tanque é aplaudida em posto de combustível

Fila de carros e pessoas aguardavam para abastecer neste posto na zona leste

Fila de carros e pessoas aguardavam para abastecer neste posto na zona leste

Márcio Neves/R7

A chegada de um caminhão tanque num posto de combustível na zona leste de São Paulo foi aplaudida pelas pessoas que aguardavam na fila para abastecer seus carros. O posto já havia recebido um caminhão com gasolina no meio da madrugada desta terça-feira (28) e o veículo que chegava trazia mais 10 mil litros de etanol.

A reportagem do R7 viu a cena se repetir em um posto de gasolina próximo a ponte da Casa Verde. Pessoas que aguardavam para abastecer também aplaudiram a chegada de um caminhão tanque no local.

Em ambos os postos uma longa fila de carros e uma aglomeração de pessoas com galões aguardavam para comprar combustível.

No posto na zona leste a estimativa é de que cada pessoa na fila espere entre três e qyatro horas para conseguir abastercer. Segundo o Sincopetro (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado São Paulo), cerca de 15% dos postos de combustíveis já foram reabastecidos com caminhões tanques em todo o estado de São Paulo.

Pessoas chegam a esperar 3h na fila

Pessoas chegam a esperar 3h na fila

Márcio Neves/R7

"Estou na fila faz umas três horas, tive que vir a pé e comprar um galão, meu carro está na garagem e não tem combustível", diz o representante comercial Mário Sérgio, que aguardava na fila de pedestres deste posto na zona leste de SP. Ele diz ainda que vai abastecer o carro com o galão e voltar para a fila de carros para completar o tanque do veículo.

Já o técnico em telecomunicação Rodrigo da Silva Loebe, aguardava em seu carro há duas horas para abastecer o veículo. Silva usa o carro para trabalhar e, pela falta de combustível, não pode atender os clientes. "Entre sábado e ontem, eu tinha 30 ordens de serviço para fazer, só fiz três e tive que avisar a empresa que não tinha mais combustível para os deslocamentos", diz ele.

O presidente do Sincopetro, José Alberto Gouveia, afirmou que a população deve esperar em média dez dias para normalizar a situação do abastecimento de combustível. "Nos primeiros três dias ainda se formarão longas filas, mas aos poucos a população vai se tranquilizar e ver que não terá mais a necessidade de correr para abastecer o veículo. Os postos devem levar sete dias para recuperar os estoques", disse Gouveia

O R7 constatou que as filas se repetem em postos de combustível de outras regiões de São Paulo. Na marginal Tiête, por exemplo, no sentido bairro-centro, entre o Hospital da Vila Maria e o terminal rodoviário do Tietê, somente três dos oitos postos de combustíveis estavam funcionando e registravam grandes filas de carros e aglomerações de pessoas para encher os galões.

Algumas pessoas também se queixavam do preço do combustível. No posto na zona leste a gasolina custa R$4,69 e o etanol R$3. "Fizeram protesto contra o preço do diesel, mas olha esse preço, pior que não dá pra ficar sem, precisamos trabalhar e temos que pagar", diz a técnica em enfermagem Mônica Abreu.

Fila de carros e pessoas se estendia pela avenida São Miguel, na zona leste de SP

Fila de carros e pessoas se estendia pela avenida São Miguel, na zona leste de SP

Márcio Neves/R7