Morador filma peixes em quintal após enchente no Rio; veja vídeo

Piscinões não evitam alagamentos na região do Maracanã

Piscinões não evitam alagamentos na região do Maracanã

Mais uma vez, os piscinões construídos no bairro do Maracanã, Zona Norte do Rio, não deram conta da água dos rios que subiram de nível, com a forte chuva desta terça-feira (20). Um morador chegou a filmar a entrada de peixes na casa dele, na Rua Deputado Soares Filho, trazidos com o excesso de água.

Nas imagens exibidas pelo RJTV 1ª edição é possível ver que quando o nível da água baixou, os peixes apareceram.

Os moradores viram o rio Maracanã transbordar duas vezes, na noite desta terça-feira. A água chegou a cobrir as rodas dos carros e, em volta do estádio, os motoristas precisaram de cautela. O rio Joana, que fica em frente ao Maracanãzinho, também transbordou.

Na manhã desta quarta-feira (21), os garis da Comlurb já tinham retirado 300 toneladas de lixo. Na região da Tijuca, choveu todo o esperado para o mês de junho, mais 54%.

Especialista diz que piscinão não funcionou como deveria

E foi pra evitar alagamentos nas chuvas fortes que a gestão passada da prefeitura inaugurou piscinões em três praças. Um na Praça da Bandeira, em, 2013, três na Praça Niterói e outro na Praça Vanhargem, no ano passado. O rio Maracanã transbordou mesmo com o piscinão da Praça Vanhargem.

“O lixo fica tampando com lixo. Assim, o nível do rio sobe. Água no rio bate na grade com lixo, o nível do lixo começa a subir aqui. O piscinão alivia a Praça da Bandeira, mas na região onde foi construído está prejudicando”, explicou o engenheiro sanitarista Adacto Ottoni.

Desde a inauguração do primeiro piscinão, outras chuvas causaram alagamentos. Em março de 2016, os arredores do rio Maracanã ficaram debaixo d´água.

“A prefeitura tem que fazer obras emergências. Pequenas e médias barragens no morro, reflorestamento, programa de lixo. A floresta segura 80% da água da chuva. Se isso não for feito é tragédia anunciada. O rio está vulnerável. Nessa época, ficam botando a chuva em São Pedro, mas é normal chuva forte. A cidade tem que estar preparada para as chuvas fortes”, disse Adacto.

Chuva inundou 15 bairros

A forte chuva que atingiu a cidade inundou pelo menos 15 bairros. Em apenas oito horas, das 15h45 à 23h59 , 11 estações pluviométricas registraram maior volume de chuva do que o esperado para todo o mês de junho: Saúde, Jardim Botânico, Santa Teresa, Laranjeiras, Recreio, São Cristóvão, Jacarepaguá/Cidade de Deus, Ilha do Governador, Grajaú, Tijuca/Muda e Barra/Riocentro.

As chuvas no Maciço da Tijuca e a maré cheia afetaram a região da Grande Tijuca, na Zona Norte. O Rio Maracanã transbordou em alguns pontos, durante o período da noite, interditando trechos da Av. Maracanã.

Os reservatórios de águas pluviais da região atingiram com capacidade quase total: Praça da Bandeira (96 %); Praça Vanhargen (95%) e Praça Niterói (90%). Não houve registros de interdições na Praça da Bandeira por alagamento e nem transbordamento nos reservatórios.