Jovens de Mianmar protestam contra prisão de repórteres

Wa Lone foi condenado a sete anos de prisão

Reuters

Ao menos 100 jovens ativistas e jornalistas de Mianmar pediram no domingo (16) a libertação de dois repórteres da Reuters presos no país asiático, advertindo que a condenação dos jornalistas a 7 anos de prisão ameaça o direito do público à informação.

Manifestantes, incluindo estudantes do ensino médio, se reuniram pacificamente no centro da maior cidade de Mianmar, Yangon, levantando cartazes e repetindo slogans contra a condenação dos jornalistas.

Os jornalistas Wa Lone, de 32 anos, e Kyaw Soe Oo, de 28, foram condenados no dia 3 de setembro por violar a Lei de Segredos Oficiais, em um caso que foi visto como um teste para as liberdades democráticas em Mianmar.

Leia também: Governo de Mianmar tenta silenciar jornalismo independente, diz ONU

Thar Lun Zaung Htet, jornalista envolvido na organização do protesto, disse que o veredicto dos repórteres, que "estavam apenas fazendo seu trabalho", vai reprimir o jornalismo em Mianmar.

"Perder a liberdade de imprensa significa que nossa transição democrática está retrocedendo", disse.