Suspeito de participar de morte de coronel da PM é preso no Rio Militares reforçam operação na Rocinha após tiroteios

email facebook googleplus pinterest twitter whatsapp
Suspeito de participar da morte de comandante de batalhão da PM é preso (Foto: Divulgação/Polícia Civil)Suspeito de participar da morte de comandante de batalhão da PM é preso (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Suspeito de participar da morte de comandante de batalhão da PM é preso (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Policiais da Delegacia de Homicídios da Capital prenderam nesta quarta-feira (25) Matheus do Espírito Santo Severiano, de 22 anos, conhecido como "Cheiroso".

O homem, de acordo com a polícia, é suspeito de participar do assassinato do coronel da Polícia Militar Luiz Gustavo Lima Teixeira, de 48 anos. O oficial, que era o comandante do 3º BPM (Méier), foi morto durante um arrastão no bairro da Zona Norte do Rio, em outubro do ano passado.

Além da morte do coronel, informações da delegacia especializada dão conta que Matheus também é um dos responsáveis pelo assassinato do 2º tenente Guilherme Lopes da Cruz. Este outro caso ocorreu em fevereiro deste ano, na Freguesia, Zona Oeste da cidade.

Cruz era subcomandante da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vila Kennedy, que também fica na Zona Oeste. O corpo do militar foi encontrado ao lado de um carro com diversas perfurações.

Na época, policiais do 18°BPM (Jacarepaguá) informaram que foram acionados para a ocorrência e que, a princípio, o tenente foi abordado por dois criminosos no momento em que pegava um lanche num "drive-thru".

Morte de comandante

O coronel Luiz Gustavo foi morto na esquina das ruas Lins de Vasconcelos e Hermengarda, no Méier. O oficial estava dentro de uma viatura descaracterizada da corporação e foi assassinado quando voltava da cerimônia de troca de comando no batalhão do 23º BPM (Leblon).

Coronel Teixeira foi morto nesta quinta-feira (26) no Méier (Foto: Reprodução/Polícia Militar do RJ)Coronel Teixeira foi morto nesta quinta-feira (26) no Méier (Foto: Reprodução/Polícia Militar do RJ)

Coronel Teixeira foi morto nesta quinta-feira (26) no Méier (Foto: Reprodução/Polícia Militar do RJ)

Um carro que vinha à frente da viatura parou no meio da rua e, em seguida, os bandidos desembarcaram para dar início a arrastão.

Houve tiroteio e o coronel foi atingido no peito por um disparo de pistola no peito. O motorista do oficial, o cabo Nei Vilar Filho, foi baleado na perna.

Mesmo ferido, o praça trocou tiros com os criminosos e reconheceu Matheus Severiano. O militar contou, inclusive, que acertou um tiro em Matheus. A investigação, a partir da análise de imagens, identificou que Matheus e os comparsas fugiram numa motocicleta. Do arrastão participaram ao menos quatro criminosos.

Subcomandante foi morto próximo a lanchonete

O então subcomandante da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Vila Kennedy, Guilherme Lopes da Cruz, foi morto na Estrada do Gabinal, por volta das 3h30.

Segundo relato de um policial, naquele dia Cruz esteve na Delegacia de Homicídios, mais cedo, após ter conseguido recuperado a arma de um sargento do Exército morto em Campo Grande.

A arma foi recuperada na Vila Kennedy e o 2º tenente a entregou na DH. Colegas do militar disseram que ele deve ter passado na lanchonete para comer. A vítima chegou a ser levada para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, mas não resistiu.

Segundo tenente Guilherme Lopes da Cruz foi morto a tiros próximo a lanchonete (Foto: Reprodução / redes sociais)Segundo tenente Guilherme Lopes da Cruz foi morto a tiros próximo a lanchonete (Foto: Reprodução / redes sociais)

Segundo tenente Guilherme Lopes da Cruz foi morto a tiros próximo a lanchonete (Foto: Reprodução / redes sociais)