Edição em comemoração aos 50 anos de Woodstock terá pop e hip hop

Criador Michael Lang declarou já ter mais de 40 artistas contratados para evento em agosto

Jornal Opção

Jornal Opção

Jornal Opção

Foto: Divulgação

Há 50 anos, lendas como Jimi Hendrix, Janis Joplin, Joe Cocker e Creedence Clearwater Revival subiram ao palco diante de 400 mil pessoas, no festival que entraria para a história como símbolo da contracultura do final da década de 1960 e começo de 70. Pois em 2019, o Woodstock estará de volta.  Michael Lang, um dos criadores do festival, anunciou a realização da edição em comemoração aos 50 anos do evento.

Serão três dias de apresentações marcados para 16 a 18 de agosto, no vilarejo de Watkins Glen, em Nova York, segundo informações da revista “Rolling Stone”. Nenhum nome foi confirmado ainda, mas Lang disse já ter mais de 40 artistas contratados. “Terá hip hop e rock, algum pop e algumas bandas antigas do festival original”, explicou.

Os ingressos para a nova edição do Festival de Woodstock começarão a ser vendidos em fevereiro, quando será divulgada a lista dos artistas confirmados, e o público, segundo Lang, pode chegar a 1 milhão de pessoas. A ideia é efetivamente se destacar de outros festivais.

“Muitos festivais hoje em dia são meio dentro da mesma forma. Poucos têm algum tipo de impacto social e isso é uma oportunidade desperdiçada. Woodstock, em sua encarnação original, foi realmente sobre mudança social e ativismo”, explicou.

Anteriores

Em 1994, foi realizada a segunda edição do festival em alusão aos 25 anos da primeira. Entre as atrações estavam bandas como Green Day, The Cranberries, Metallica, Aerosmith, Red Hot Chili Peppers e Bob Dylan. Em 1999 aconteceu a terceira versão do Woodstock, também no interior do estado de Nova York, na cidade de Rome, mas o festival foi marcado por diversos tumultos e até violência, destruindo a imagem do “Paz e Amor” de Woodstock.

O post Edição em comemoração aos 50 anos de Woodstock terá pop e hip hop apareceu primeiro em Jornal Opção.