Cães resgatados em Osasco tinham sinais de espancamento e tortura

Filhotes mortos foram achados em sacos de lixo

Filhotes mortos foram achados em sacos de lixo

Reprodução/instagram.com/luisamell

Uma operação da Polícia Civil resgatou na manhã de sexta-feira (29) 135 cães que eram vítimas de maus-tratos em um canil em Osasco, na Grande São Paulo. Os animais tinham marcas de espancamento e tortura. No local, os investigadores encontraram ainda nove cachorros mortos em sacos de lixo. A moradora do imóvel, uma idosa de 70 anos, foi levada pela polícia a uma delegacia.

A Operação Canina foi coordenada pela Delegacia do Meio Ambiente de Osasco e ocorreu após uma denúncia recebida pelo Instituto Luisa Mell e reportada à polícia. Ao R7, a ativista disse que a ação foi "uma das piores coisas que já vi".

Os policiais civis foram ao endereço indicado por volta das 10h30, um imóvel de alto padrão no bairro do Jardim Adalgisa, e encontraram os animais feridos, confinados em cômodos sujos de urina e fezes. Alguns tinham ossos quebrados e estavam cegos.

Os corpos dos cachorros mortos estavam dentro de sacos de lixo do lado de fora da casa. A dona da residência foi liberada após prestar depoimento.

Segundo a Polícia Civil, a organização não governamental (ONG) que recebeu a denúncia ofereceu a infraestrutura necessária para a retirada dos animais do canil, acompanhou a operação e ficará responsável por cuidar deles até que sejam adotados.

A apresentadora de TV e ativista Luisa Mell, fundadora da ONG, esteve pessoalmente no canil e publicou vídeos em seu Instagram nos quais descreve o que chamou de "filme de terror" e pede ajuda para tratar os cachorros resgatados.

De acordo com Luisa, a proprietária do canil explorava até a morte os animais mais velhos e vendia os filhotes. "Eles estão em péssimo estado, todos precisam de tratamentos, vacinas, alguns de cirurgia", escreveu.