50,8% dos brasileiros acham que regime militar era igual ou melhor do que democracia de hoje

50,8% dos brasileiros acham que regime militar era igual ou melhor do que democracia de hoje

Arquivo/Estadão Conteúdo

Maior parte dos brasileiros, ou 50,8% acredita que o regime militar no Brasil era melhor (33,5%) ou igual (17,3%) à democracia que vivemos hoje. Os que acham que o regime militar era pior são 41,1% e 8,1% não sabem ou não responderam. O resultado é de uma pesquisa de opinião feita pelo Instituto Paraná Pesquisas a pedido da coluna. 

A crença de que o regime militar era melhor ou igual à democracia é maior entre o brasileiros que têm entre 35 e 44 anos, totalizando 53,1% (melhor 37,2% e igual para 15,9%). Para as faixas de 25 a 24 anos e de 25 a 59 anos o percentual cai para 52% e para 49,1% entre os jovens de 16 a 24 anos. 

Apesar de o Brasil ter vivido sob a ditadura entre 1964 e 1985, o regime foi mais duro nos primeiros anos. A geração que viveu sob a democracia e depois na repressão, após a intervenção militar, é a que tem hoje 60 anos ou mais e, não por acaso, foi nessa faixa etária que os que consideram o regime militar pior do que a democracia são mais numerosos (46,1% acham que ditadura era pior). Mesmo assim o percentual não passa dos 50% e não chega, portanto, a ser maioria. 

Por escolaridade, a impressão de que o regime militar era melhor ou igual é maior entre os entrevistados que completaram o Ensino Médio, com 53,8% considerando que o regime militar era melhor (35,6% ) ou igual (18,2%) e 40,2% que consideram pior. 

A pesquisa foi realizada entre os dias 25 e 28 de setembro de 2017 com 2.540 brasileiros de 16 anos ou mais por meio de questionário online. O grau de confiança de 95% e a margem de erro é de dois pontos percentuais para os resultados gerais.

Veja abaixo os resultados da pesquisa: 

Reprodução

Reprodução

Reprodução