Vídeo mostra os últimos momentos de vida de estudante da UnB

Os últimos momentos de vida do estudante da Universidade de Brasília (UnB), Arlon Silva, de 29 anos, foram registrados por uma câmera de segurança da Câmara Legislativa. Nas imagens, é possível ver quando o rapaz tenta se manter em pé enquanto pede socorro, no Eixo Monumental. A cena ocorreu pouco depois dele ter sido esfaqueado, ao passar de bicicleta pelo canteiro central próximo ao local.

O registro não é muito nítido devido ao horário e à falta de iluminação no local, que fica ainda mais limitada por conta da quantidade de árvores. Contudo, as imagens mostram a vítima caindo duas vezes enquanto acenava para tentar chamar atenção dos carros que passavam. Pouco tempo depois, viaturas da PM aparecem para fazer prestar socorro. O homem foi levado para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos graves e faleceu.

Um outro vídeo, da câmera de segurança do prédio onde Arlon morava há alguns meses, no Sudoeste, flagrou o momento em que ele saiu de casa, pela última vez, na bicicleta que foi roubada pelo autor do crime. A Polícia Civil, inclusive, pede ajuda da população para encontrar a bike.

Procura

A Polícia Civil afirma que ainda está a procura dos possíveis autores do latrocínio. Durante esta tarde, a Polícia Militar encontrou o cabo de uma faca perto do local onde aconteceu o crime. O objeto foi recolhido e encaminhado para a 5ª DP, onde passará por análise.

#td_uid_1_5a2b1e0b97636 .td-doubleSlider-2 .td-item1 { background: url(http://www.jornaldebrasilia.com.br/wp-content/uploads/2017/12/WhatsApp-Image-2017-12-08-at-17.45.20-80x60.jpeg) 0 0 no-repeat; } #td_uid_1_5a2b1e0b97636 .td-doubleSlider-2 .td-item2 { background: url(http://www.jornaldebrasilia.com.br/wp-content/uploads/2017/12/WhatsApp-Image-2017-12-08-at-17.45.19-80x60.jpeg) 0 0 no-repeat; } 1 de 2

Jornal de Brasília

Jornal de Brasília
Foto: João Stangherlin

Jornal de Brasília

Jornal de Brasília
Foto: João Stangherlin

Despedida

Depois do choque da descoberta da morte de Arlon, os amigos do Instituto de Física da instituição querem se despedir do rapaz. O desejo deles é que haja um velório aqui em Brasília para, depois, o corpo ser transladado para Rio Branco do Sul (PR), cidade onde a família da vítima mora. É o que diz o orientador de doutorado do jovem na UnB, Jorlândio Félix.

*Com informações de João Paulo Mariano

Saiba mais em Jornal de Brasília