UFPB cria primeiro carro elétrico de competição do Norte e NE

Alunos e professores do Centro de Energias Alternativas e Renováveis (CEAR) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) lançaram, no dia 24 de novembro, o primeiro carro de corrida, do tipo monoposto, movido a energia elétrica do Norte/Nordeste. A apresentação foi feita no auditório da Reitoria pelo diretor e pelo vice-diretor do CEAR, Zaqueu Ernesto da Silva e Euler Cássio Tavares de Macêdo, respectivamente, na presença da reitora Margareth Diniz, com exposição do veículo no hall da entrada do prédio, no campus de João Pessoa.

O professor Euler Macêdo, que coordena o projeto Fórmula-E UFPB, explicou que o objetivo é construir um veículo elétrico de alto desempenho para um público potencial de pilotos amadores de corrida, a ser avaliado na Fórmula SAE – competição entre equipes de estudantes de graduação e pós-graduação de todo o mundo. A equipe da UFPB é multidisciplinar, envolvendo alunos de diversos cursos, entre eles, Engenharia Elétrica, Energias Renováveis, Engenharia Mecânica, Engenharia de Produção e Mídias Digitais.

O protótipo desenvolvido pelo Fórmula-E UFPB foi apelidado de ‘Carcará’, em referência à ave, comum no Brasil, caracterizada por sua resistência e o voo rápido e certeiro. Por ser um veículo movido a eletricidade, o ‘Carcará’ não emite CO2, um dos gases causadores do efeito estufa, que leva ao aquecimento global.

“Diversos países, principalmente da Europa, têm data para o fim da produção de veículos movidos a combustível fóssil. Embora nossa realidade seja bastante diferente da de universidades brasileiras do eixo Rio-São Paulo no que se refere a orçamento, temos nos destacado, sobretudo por conta do esforço dos alunos e do apoio institucional da UFPB – do pessoal da garagem ao gabinete da reitoria”, reconheceu o professor Euler, na cerimônia de lançamento.

“Nós nunca recusamos uma boa ideia”, disse a reitora Margareth Diniz. A gestora parabenizou os estudantes e o docente pela iniciativa, destacando que “apesar da crise, o jovem professor Euler Macêdo tem viabilizado parcerias para não deixar seus projetos parados. Espero que o novo prédio do CEAR saia logo do papel para que a gente ofereça infraestrutura melhor, a fim de dar mais condições a empreendimentos como este”.

Teste 

O ‘Carcará’ vem sendo desenvolvido desde 2014, sob a coordenação do professor Euler, do Departamento de Engenharia Elétrica (DEE/CEAR), e passou pelo primeiro teste na competição Fórmula SAE Brasil. O evento, promovido anualmente pela Sociedade de Engenheiros Automotivos do Brasil, foi realizado, nessa edição, no período de 30 de novembro a 3 de dezembro, no Esporte Clube Piracicabano de Automobilismo (ECPA), em Piracicaba, no interior de São Paulo.

A equipe da UFPB concorreu com dois carros. O tradicional veículo movido a combustão, primeiro carro desenvolvido pelo CEAR, foi impossibilitado de competir por falha no sistema de freios. Já o veículo elétrico teve um incidente que danificou a parte elétrica. Embora o reparo tenha sido feito a tempo, não foi possível, à organização, realizar a inspeção em tempo hábil para que o Carcará pudesse prosseguir na competição.

Na categoria Fórmula E (elétrico), estavam inscritas 15 universidades, tendo a UFPB como única representante das regiões Norte e Nordeste. Em 2016, a equipe ficou em 9º lugar geral e na 2ª posição da categoria Estática, na qual é necessário apresentar somente o projeto, sem o protótipo materializado.

De volta da competição, a equipe planeja desenvolver novos projetos, entre eles, um sistema de inteligência artificial para prever a carga das baterias do carro e a produção de um veículo autônomo, que não necessita de condutor.

Potência e design inovador 

Segundo o professor Euler Macêdo, o ‘Carcará’ foi projetado para alcançar a velocidade de zero a 100 km/h em três segundos. A autonomia de suas baterias é de 45 km. “O torque do motor do protótipo é maior do que o de um Camaro, coupê esportivo de porte médio da Chevrolet. Só que o Camaro pesa quase duas toneladas, enquanto o ‘Carcará’ pesa 300 kg, incluindo o piloto”, complementa.

Para viabilizar a construção do protótipo, a equipe contou com o apoio da UFPB, que forneceu os itens mais caros, como o motor e as baterias. Além disso, os alunos fizeram ‘vaquinha’ virtual para baratear o custo e trabalharam com materiais regionais, entre eles fibra de coco, sisal e bambu, para garantir mais resistência e o design inovador.

Os estudantes também realizaram estudos na área de ergonomia para que o piloto ficasse o mais confortável possível no veículo. O condutor do Carcará na prova de Piracicaba foi o aluno do 5º período do curso de Engenharia Elétrica e integrante do projeto Sammuel Arruda.

O post UFPB cria primeiro carro elétrico de competição do Norte e NE apareceu primeiro em Portal Correio.