Adolescente suspeito de envolvimento na morte de doutorando da UnB é identificado e apreendido em Ceilândia

Um adolescente de 14 anos foi apreendido na madrugada deste domingo (10) suspeito de ser o responsável pela morte do estudante doutorando em física da Universidade de Brasília (UnB), Arlon Fernando da Silva, 29 anos, na última quinta-feira. De acordo com a Polícia Civil o menor confessou o crime, mas apresentou versões conflitantes em seu depoimento. Ele foi ouvido hoje a noite por integrantes da Delegacia da Criança e do Adolescente I, da Asa Norte. A corporação acredita que o garoto possa estar escondendo a participação de um adulto no crime.

O menor era monitorado desde sexta-feira. Ele foi capturado no Setor O, em Ceilândia após o trabalho conjunto de agentes da 5ª Delegacia de Polícia (Área Central) e da 24ª DP, localizada na mesma região onde a apreensão ocorreu. A Polícia busca confirmar as informações passadas pelo adolescente, como localizar a faca utilizada no crime e a bicicleta roubada, que teria sido a motivação para o ato. O local onde ocorreu o crime ficou com diversas manchas de sangue espalhadas pelo chão.

#td_uid_1_5a2dd8a0657e1 .td-doubleSlider-2 .td-item1 { background: url(http://www.jornaldebrasilia.com.br/wp-content/uploads/2017/12/0a3bfcdd-b7f7-4fb3-9be3-00fd8fb6e447-2-630x420-1-80x60.jpg) 0 0 no-repeat; } #td_uid_1_5a2dd8a0657e1 .td-doubleSlider-2 .td-item2 { background: url(http://www.jornaldebrasilia.com.br/wp-content/uploads/2017/12/0a3bfcdd-b7f7-4fb3-9be3-00fd8fb6e447-630x420-1-80x60.jpg) 0 0 no-repeat; } #td_uid_1_5a2dd8a0657e1 .td-doubleSlider-2 .td-item3 { background: url(http://www.jornaldebrasilia.com.br/wp-content/uploads/2017/12/2dc81992-566b-47eb-85e5-895fa10fb3ed-630x420-1-80x60.jpg) 0 0 no-repeat; } #td_uid_1_5a2dd8a0657e1 .td-doubleSlider-2 .td-item4 { background: url(http://www.jornaldebrasilia.com.br/wp-content/uploads/2017/12/5c07ac1d-573f-4682-bbfe-ba5b37a5bff1-630x420-1-80x60.jpg) 0 0 no-repeat; } #td_uid_1_5a2dd8a0657e1 .td-doubleSlider-2 .td-item5 { background: url(http://www.jornaldebrasilia.com.br/wp-content/uploads/2017/12/7fe32e67-3897-4895-9418-b271fa3a497b-630x420-1-80x60.jpg) 0 0 no-repeat; } #td_uid_1_5a2dd8a0657e1 .td-doubleSlider-2 .td-item6 { background: url(http://www.jornaldebrasilia.com.br/wp-content/uploads/2017/12/9d8c2006-1955-4764-a6a9-88e0e865fd89-280x420-1-80x60.jpg) 0 0 no-repeat; } #td_uid_1_5a2dd8a0657e1 .td-doubleSlider-2 .td-item7 { background: url(http://www.jornaldebrasilia.com.br/wp-content/uploads/2017/12/2997e65e-8388-407a-8235-00640c6275e3-280x420-1-80x60.jpg) 0 0 no-repeat; } #td_uid_1_5a2dd8a0657e1 .td-doubleSlider-2 .td-item8 { background: url(http://www.jornaldebrasilia.com.br/wp-content/uploads/2017/12/903160c5-b4c9-464c-936f-aa055222111c-1-630x420-1-80x60.jpg) 0 0 no-repeat; } #td_uid_1_5a2dd8a0657e1 .td-doubleSlider-2 .td-item9 { background: url(http://www.jornaldebrasilia.com.br/wp-content/uploads/2017/12/3289668a-69a6-4c30-8fda-3b52593dafe5-630x420-1-80x60.jpg) 0 0 no-repeat; } #td_uid_1_5a2dd8a0657e1 .td-doubleSlider-2 .td-item10 { background: url(http://www.jornaldebrasilia.com.br/wp-content/uploads/2017/12/9637587d-73df-43ed-8663-45fd6e67e3bd-630x420-1-80x60.jpg) 0 0 no-repeat; } #td_uid_1_5a2dd8a0657e1 .td-doubleSlider-2 .td-item11 { background: url(http://www.jornaldebrasilia.com.br/wp-content/uploads/2017/12/e2ab522e-988e-438b-8eb6-718a2fbbcf37-630x420-1-80x60.jpg) 0 0 no-repeat; } #td_uid_1_5a2dd8a0657e1 .td-doubleSlider-2 .td-item12 { background: url(http://www.jornaldebrasilia.com.br/wp-content/uploads/2017/12/e131693a-d150-41f1-9932-8cf4b0928e4d-280x420-1-80x60.jpg) 0 0 no-repeat; } #td_uid_1_5a2dd8a0657e1 .td-doubleSlider-2 .td-item13 { background: url(http://www.jornaldebrasilia.com.br/wp-content/uploads/2017/12/fd8fc836-6661-47d7-a6b6-cdfd1d66b3f4-630x420-1-80x60.jpg) 0 0 no-repeat; } 1 de 13

Jornal de Brasília

Jornal de Brasília
Breno Esaki/Jornal de Brasília

Jornal de Brasília

Jornal de Brasília
Breno Esaki/Jornal de Brasília

Jornal de Brasília

Jornal de Brasília
Breno Esaki/Jornal de Brasília

Jornal de Brasília

Jornal de Brasília
Breno Esaki/Jornal de Brasília

Jornal de Brasília

Jornal de Brasília
Breno Esaki/Jornal de Brasília

Jornal de Brasília

Jornal de Brasília
Breno Esaki/Jornal de Brasília

Jornal de Brasília

Jornal de Brasília
Breno Esaki/Jornal de Brasília

Jornal de Brasília

Jornal de Brasília
Breno Esaki/Jornal de Brasília

Jornal de Brasília

Jornal de Brasília
Breno Esaki/Jornal de Brasília

Jornal de Brasília

Jornal de Brasília
Breno Esaki/Jornal de Brasília

Jornal de Brasília

Jornal de Brasília
Breno Esaki/Jornal de Brasília

Jornal de Brasília

Jornal de Brasília
Breno Esaki/Jornal de Brasília

Jornal de Brasília

Jornal de Brasília
Breno Esaki/Jornal de Brasília

Mais sobre o assunto

Doutorando da UnB é assassinado em frente à Câmara Legislativa; Polícia Civil pede ajuda para localizar bicicleta de estudante assassinado; Estudante assassinado tentou pedir ajuda antes de morrer;
Aplicativo registra último pedal de estudante da UnB assassinado; Amigos preparam despedida a estudante da UnB assassinado; Vídeo mostra os últimos momentos de vida de estudante da UnB; Doutorando da UnB é velado no Campo da Esperança antes de ser levado ao Paraná.

O crime

O estudante foi morto na área central de Brasília na noite dessa quinta-feira (7), a poucos metros da Câmara Legislativa (CLDF). Por volta das 20h, Arlon foi pego de surpresa com uma facada logo abaixo da axila enquanto pedalava na via S1 do Eixo Monumental.

De acordo com a Polícia Civil ele rastejou por cerca de 30 metros e tentou pedir ajuda antes de morrer. Arlon chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos graves e faleceu.

Os últimos momentos de vida do estudante da Universidade de Brasília (UnB) foram registrados por uma câmera de segurança da Câmara Legislativa. Nas imagens, não muito nítidas, é possível ver quando o rapaz tenta se manter em pé enquanto pede socorro, no Eixo Monumental. As imagens mostram a vítima caindo duas vezes enquanto acenava para tentar chamar atenção dos carros que passavam.

Despedida Amigos e parentes de Arlon deram o último adeus ao jovem neste fim se semana. Ele foi enterrado na cidade onde morava com a família, em Rio Branco do Sul, região a 31 km da capital paranaense, Curitiba. A família ainda estaria muito abalada devido a forma com que tudo ocorreu. Já no sábado (09), o corpo dele foi velado no cemitério Campo da Esperança e contou com os amigos que fez durante o mestrado e o doutorado em física, na Universidade de Brasília (UnB). Os amigos tinham feito até uma vaquinha para auxiliar no translado do corpo para o Paraná. Com informações de João Paulo Mariano*

Saiba mais em Jornal de Brasília